sexta-feira, 19 de abril de 2013

Joachim Georg Kroll





Joachim Georg Kroll nascido em 17 de abril de 1933  foi um serial killer e canibal alemão. Ele era conhecido como o Cannibal de Ruhr (Ruhrkannibale), o Caçador de Ruhr (Ruhrjäger) e o Engolidor de Humanos de Duisburg (Duisburger Menschenfresser). Ele foi condenado por oito homicídios, mas confessou um total de 13. 

Nascimento

Nasceu o filho de um mineiro de Hindenburg (Zabrze), Província da Alta Silésia, Kroll era o caçula de um total de oito crianças. Era uma criança fraca e costumava urinar na cama. Sua educação foi pobre, só chegou a 3 série, mais tarde foi descoberto por psiquiatras que ele tinha um QI de 76. Após o fim da Segunda Guerra Mundial, a família Kroll mudou-se para North Rhine-Westphalia. Ele começou a matar em 1955, depois que sua mãe morreu. Por volta de 1960, Kroll foi para Duisburg e encontrou trabalho limpando banheiros da empresa Mannesmann . Depois trabalhou na Thyssen Industries e foi morar na rua Friesen 24, no bairro Laar de Duisburg. Naquela época, ele começou a matar pessoas.

Crimes

 Em 8 de fevereiro de 1955 Irmgard Strehl, de 19 anos, foi estuprada e esfaqueada até a morte. Seu corpo decomposto foi encontrado em um celeiro em Lüdinghausen . Em 16 de junho de 1959 Klara Tesmer Frieda, de 24 anos, foi assassinada nas proximidades do Reno , perto de Rheinhausen . Um mecânico, Heinrich Ott, foi preso pelo crime. Ele se enforcou na prisão. Em 26 de julho de 1959. Manuela Knodt, de 16 anos, foi estuprada e estrangulada no parque da cidade de Essen. Fatias de carne foram cortadas de suas nádegas e coxas. Em 1962 Barbara Bruder de 12 anos, foi seqüestrada em Burscheid . Seu corpo nunca foi encontrado. Em 23 de abril de 1962 Petra Giese, de 13 anos, foi estuprada e estrangulada em Dinslaken-Bruckhausen. Vinzenz Kuehn, morador local, foi preso e condenado. Em 04 de junho de 1962 Monika Tafel, de 12 anos, foi morta em Walsum, fatias de carne foram arrancadas de suas nádegas. Walter Quicker foi preso pelo crime. Ele foi liberado, mas foi conduzido ao suicídio após ameaças de vizinhos, em outubro. Em 22 de agosto de 1965 Hermann Schmitz e sua namorada Marion Veen foram atacados enquanto estavam sentados em um carro namorando em Duisburg-Großenbaum. Hermann, única vítima do sexo masculino de Kroll, foi morto, mas Marion escapou. Em 13 de setembro de 1966 Ursula Rohling, foi estrangulada em Foersterbusch Park perto de Marl. O namorado dela, Adolf Schickel, cometeu suicídio depois de ser falsamente acusado de assassinato. Em 22 de dezembro de 1966 Ilona Harke de 5 anos, foi violentada e morreu afogado em uma vala em Wuppertal . Em 12 de julho de 1969 Maria Hettgen, de 61 anos, foi estuprada e estrangulada em Hückeswagen . Em 21 de maio de 1970 Jutta Rahn, de 13 anos, foi estrangula quando caminhava para casa através de uma estação de trem. Peter Schay foi preso e acabou liberado. Ele confessou o crime, em 1976, após ser perseguido por seus vizinhos. Em 1976 Karin Toepfer, de 10 anos, foi estuprada e estrangulada em Voerde.

Prisão, Julgamento e Morte

 Em 03 julho de 1976 parte do corpo de Ketter Marion, de 4 anos, estava no apartamento de Kroll quando ele foi preso. Kroll nunca repetia o lugar onde matava, só fez isso no mesmo lugar em poucas ocasiões e com diferença de mais de ano. Isto e o fato de que havia um número de assassinos que operavam na região, na época, ajudou a evitar a sua captura. Kroll pegava suas vítimas de surpresa e as estrangulava rapidamente. Depois ele tinha relações sexuais com o cadáver, muitas vezes, se masturbando em cima. Ele, então, mutilava e cortava em pedaços para serem comidos mais tarde. Ao voltar para casa, ele teria novamente relações sexuais com uma boneca inflável de borracha que ele tinha para o isso. Em 03 de julho de 1976, Kroll foi preso por seqüestro e assassinato da menina de quatro anos chamada Marion Kettner. Como a polícia foi de casa em casa, um vizinho se aproximou de um policial e disse que a tubulação em seu prédio estava bloqueada e quando ele perguntou ao seu vizinho, Kroll, se ele sabia o que estava bloqueando o tubo, Kroll tinha simplesmente respondeu: "Entranhas". Após este relato, a polícia foi até o apartamento de Kroll e encontrou o corpo da garota Kettner cortado, algumas partes estavam no congelador, uma pequena mão estava cozinhando em uma panela de água fervente e as vísceras foram encontrados presas na tubulação. Kroll foi imediatamente detido. Ele admitiu ter matado Marion Kettner e deu detalhes de outros 14 assassinatos e uma tentativa de homicídio nas últimas duas décadas. Kroll disse que muitas vezes cortava porções de carne de suas vítimas para cozinhar e comer, alegando que fazia isso para economizar em suas contas na mercearia. Na prisão, ele acreditava que estava lá para obter uma simples operação para curá-lo de seus impulsos homicidas, dai então, ele seria liberado. Em vez disso, ele foi acusado de oito homicídios e uma tentativa. Em abril de 1982, depois de um dia julgamento de 151 dias, ele foi condenado em todos os aspectos e recebeu nove sentenças de prisão perpétua. Ele morreu de um ataque cardíaco em 1991 na prisão de Rheinbach, perto de Bonn.

Lista de vítimas


8 de fevereiro de 1955 - Irmgard Strehl, 19, estuprada e esfaqueada até a morte. Seu corpo estripado foi encontrado em um celeiro em Lüdinghausen.

16 de junho, 1959 - Klara Frieda Tesmer, 24, assassinada nos prados do Reno, perto Rheinhausen. Um mecânico, Heinrich Ott, foi preso pelo crime. Ele se enforcou na prisão.

26 de julho de 1959 - Manuela Knodt, 16, estuprada e estrangulada no Parque da Cidade de Essen. Fatias de carne foram tirados a partir de suas nádegas e coxas.

1962 - Barbara Bruder, 12, sequestrado em Burscheid. Seu corpo nunca foi encontrado.

23 de abril de 1962 - Petra Giese, 13, estuprada e estrangulada em Dinslaken-Bruckhausen. Vinzenz Kuehn é preso e condenado.

04 de junho de 1962 - Monika Tafel, 12, morto em Walsum, fatias de carne tiradas de suas nádegas. Walter Quicker é preso pelo crime. Ele foi liberado, mas é conduzido por vizinhos ao suicídio em outubro.

22 de agosto de 1965 - Hermann Schmitz e sua namorada Marion Veen foram atacados enquanto estavam sentados em um carro em Duisburg Großenbaum. Hermann - única vítima do sexo masculino da Kroll - foi morto, mas Marion fugiu.

13 de setembro de 1966 - Ursula Rohling, estrangulada em Foersterbusch Park perto de Marl. Seu namorado Adolf Schickel cometeu suicídio depois de ser falsamente acusado do crime.

22 de dezembro de 1966 - Ilona Harke, de 5 anos, estuprada e se afoga em uma vala em Wuppertal.

12 de julho de 1969 - Maria Hettgen, 61, estuprada e estrangulada em Hückeswagen.

21 de maio de 1970 - Jutta Rahn, 13 anos, estrangulou estava indo a pé para casa a partir de uma estação de trem. Peter Schay foi preso e finalmente solto. Ele confessou o crime, em 1976, depois de ser perseguido por seus vizinhos.

1976 - Karin Toepfer, 10, estuprada e estrangulada em Voerde.

03 julho de 1976 - Marion Ketter, 4. Partes de seu corpo estavam em processo de ser cozido quando Kroll foi preso.


Imagens
















Irmgard Strehl

Erika Schuleter

Manuela Knodt

Barbara Bruder

Petra Giese

Monika Tafel

Hermann Schmitz

Ursula Rohling

Ilona Harke

Gabriele Puetman

Maria Hettgen

Jutta Rahn

Karin Toepfer

Sát nhân ăn thịt người (Kỳ 2), Kỳ án, An ninh - Hình sự,
Marion Ketter


Livros



Videos