quarta-feira, 17 de abril de 2013

Stephen Shaun Griffiths




Stephen Shaun Griffiths nascido em 24 dezembro de 1969, em Dewsbury, West Yorkshire. Durante sua adolescência, Griffiths foi aluno na Queen Elizabeth Grammar School, Wakefield. Ele se graduou na universidade de Leeds em psicologia e realizava estudos de pós-graduação em Criminologia na Universidade de Bradford no momento da sua detenção. Faziam 10 anos que Stephen não via seu pai, desde que esse se separou de sua mãe, Stephen viveu muitos anos com ela mais um irmão e uma irmã. Ele é suspeito de ter assassinado pelo menos três prostitutas em Yorkshire, Inglaterra. "Solitário e obcecado por prostitutas." É assim que os vizinhos o descrevem. A detenção de Griffiths, que foi para o tribunal no dia 28 de maio de 2010, foi possível graças às câmaras de vigilância colocadas durante a investigação, destacando-se a atitude suspeita de "um homem de sobretudo longo e óculos escuros".

Crimes e prisão 


 O homem de 40 anos foi detido na noite de 24 de maio de 2010, depois de a polícia ter encontrado partes do cadáver de uma mulher flutuando no rio Aire, em Shipley. Suzanne Blamires, de 36 anos, foi vista pela última vez em 21 de maio, no red-light district de Bradford. Griffiths foi apontado como o último cliente que a prostituta tinha atendido. "Era uma moça inteligente, estava estudando para ser enfermeira", contou a mãe de Suzanne à BBC, explicando que as drogas desviaram a filha. "O que aconteceu com ela jamais sairá de minha cabeça. Ninguém merece isto", disse ainda Nicky Blamires. Suzanne foi morta com disparos de um besta. Mais de 80 policiais invadiram o apartamento de Griffiths após checarem um vídeo de segurança que o incriminava. A este caso somam-se os desaparecimentos de outras duas prostitutas: Shelley Armitage, de 31 anos, com paradeiro desconhecido desde Abril, e Susan Rushworth, de 43 anos, que ninguém viu desde Junho de 2009. Outro tecido humano encontrado no mesmo rio que Blamires foi encontrada estabeleceu-se mais tarde pertencer a Armitage. Mas o quebra-cabeça pode ser maior, a confirmarem-se as suspeitas da polícia de que Griffiths tenha responsabilidade no desaparecimento de outras três prostitutas em 1999 e no homicídio de uma quarta, identificada como Rebecca Hall de 19 anos, cujo corpo foi encontrado na mesma região. Na sua página do My Space, o estudante de Criminologia, solteiro, apresentava-se como "Ven Pariah", figura mítica da demonologia, e fazia a apologia do castigo duro contra "aqueles que sujam a sociedade". No mesmo perfil, encerrado pela polícia, havia referências a Peter Suttcliffe, o Estripador de Yorkshire, que foi comprovado ter assassinado 13 prostitutas na década de 70. Confirmando-se a autoria de todos os assassínios, Griffiths será o segundo mais violento serial killer da história moderna britânica. Após ser preso em 24 de Maio de 2010, Griffiths apareceu no tribunal de magistrados, como já havia dito na manhã de 28 de Maio, dando seu nome como "The Cannibal Crossbow" ou “O Cannibal da Besta”. Ele fez uma segunda aparição no Tribunal da Coroa Britânica em 07 de junho através de um link de vídeo de dentro da prisão de Wakefield, onde aguarda julgamento que ocorrerá em 16 de Novembro de 2010. Griffiths tentou suicídio na prisão de Wakefield em 09 de junho de 2010.

Julgamento e Sentença

"Crossbow Cannibal 'recebe prisão perpétua por assassinatos

BBC Notícias

21 de dezembro de 2010

Um aluno que se intitulava "Crossbow Cannibal"  foi condenado à prisão perpétua pelos assassinatos "perversos e monstruoso" de três mulheres em Bradford.

O juiz em Leeds Crown Court disse a Stephen Griffiths que ele iria passar o resto de sua vida na prisão.

Griffiths, de Bradford, havia admitido ter assassinado Suzanne Blamires, de 36 anos, Shelley Armitage, 31, e Susan Rushworth 
43 anos de idade,.

Após sua prisão, ele disse a polícia de West Yorkshire: "Eu matei um monte."

Griffiths, foi preso em 24 de maio pela polícia de West Yorkshire após imagens do circuito interno de ele atacar Ms Blamires em seu bloco de apartamentos foi descoberto por um zelador no complexo.

Robert Smith QC, Ministério Público, disse que o zelador tinha o trabalho de revisão de imagens tiradas de câmeras de CFTV.

Em 24 de Maio, viu cenas que mostrou Ms Blamires saindo de seu apartamento e Griffiths a seguindo.

O tribunal ouviu que Ms Blamires mais tarde foi vista sendo arrastada no chão por sua perna por Griffiths, que foi visto ter algo na mão.

A mulher foi filmada e ele estava com uma besta, o tribunal ouviu, antes Griffiths fez um"gesto", segurando um dedo para a câmera CFTV.

Sr. Smith acrescentou que Griffiths havia dito aos policiais ao prendê-lo: "Sou Osama bin Laden."

Uma vez em uma delegacia de polícia, ele disse aos policiais: "Eu matei um monte não só  Suzanne Blamires - Eu matei várias.

Imagens














Susan Rushworth, de 43 anos

Shelley Armitage, 31 anos

Suzanne Blamires, de 36 anos

Stephen Griffiths

Stephen Griffiths

Stephen Griffiths

Stephen Griffiths case

Custody: Griffiths was arrested after openly waving his crossbow in front of a CCTV camera, demonstrating that he wanted police to catch him





Livros



Videos